“Graça” por Ricardo Gondim

Posted in Isto é interessante on maio 30, 2010 by rafaelvictor

Ainda há pouco, ao reler o admirável Sermão do Monte, percebi como a graça esteve presente nos princípios expostos por Jesus. Mesmo reconhecendo que a graça foi exaustivamente estudada e definida pela teologia, é preciso redescobri-la nos lábios do Nazareno. Os favores imerecidos de Deus não podem ficar circunscritos às codificações teológicas. Naquele relvado, na encosta de um morro qualquer, Cristo falou de assuntos diversos, mas não se esqueceu de explicitar que Deus se relaciona com seus filhos diferente de todas as divindades conhecidas. Após séculos de argumentação sobre os significados da graça, os cristãos precisam despertar para ao fato de que ela é o chão da espiritualidade cristã.

Um neopaganismo levedou a fé de tal forma que muitos transformaram a oração em uma simples fórmula para canalizar e receber os favores divinos. Para obter resposta às petições, implora-se, pena-se, insiste-se, no aguardo de que Deus escute. Quando não se recebe, justifica-se assumindo culpas irreais, como falta de disciplina. Acha-se que é necessário continuar implorando para Deus se sensibilizar. Mede-se a espiritualidade pelo número de respostas aos seus pedidos e, quando malsucedidos, castiga-se por não merecer. A própria linguagem denuncia romeiros católicos e evangélicos, que lotam os espaços religiosos: é preciso “alcançar uma graça”.

Graça liberta do imperativo de dar certo. O Sermão da Montanha começa felicitando pobres em espírito, chorosos, mansos e perseguidos. Os triunfantes não podem se gloriar de serem mais privilegiados do que os malogrados. Graça revela um Deus teimosamente insistindo em permanecer do lado de quem não conseguiu triunfar; até porque a companhia de Deus não significa automática reversão das adversidades.

Graça permite o autoexame, a análise das motivações mais secretas da alma, sem medo. Na série de afirmações sobre ódio, adultério, divórcio e vingança, Cristo deixou claro que ninguém pode se vangloriar quando desce às profundezas do coração. No nível das intenções, todos são carentes. O olhar sutil indica adultério. O ódio despistado revela homicidas em potencial. A vingança disfarçada contamina as ações superficiais. Lá onde brotam as fontes das decisões, tudo é confuso; vícios e virtudes se confundem. Somente com a certeza de que não haverá rejeição é possível confrontar os intentos do coração para ser íntegro.

Graça convida a amar. Jesus afirmou que Deus “faz raiar o seu sol sobre maus e bons e derrama chuva sobre justos e injustos”. Para revelar sua bondade, Deus não precisou ser convencido a querer bem. Deus não faz acepção de pessoas; o seu amor não está condicionado a méritos. Quando as pessoas são inspiradas por gratidão, reconhecimento e admiração por tão grande amor, se sentem impulsionadas a imitá-lo. Deus surpreende por dispensar bondade sem contrapartida de virtude. Assim, na improbabilidade de os seres humanos se mostrarem graciosos, os discípulos devem almejar a única virtude que pode torná-los perfeitos como Deus — o amor.

Graça é convicção de que o acesso a Deus não depende de competência. Quem acredita que será aceito pelo tom de voz piedoso ou pela insistência em repetir preces nega a paternidade divina. Antes de pedirmos qualquer coisa, Deus já estava voltado para nós. Os exercícios espirituais não precisam ser dominados como uma técnica, mas desenvolvidos como uma intimidade. O secreto do quarto fechado representa um convite à solitude, à tranquilidade que não acontece com sofreguidão.

Graça libera energia espiritual que pode ser dirigida ao próximo. Buscar o reino de Deus e sua justiça só é possível porque não é preciso preocupar-se com o que comer e vestir e por jamais ter de bater na porta do sagrado para conquistar benefícios particulares. Basta atentar para os lírios do campo e pardais para perceber que as ambições devem escapar à mesquinhez de passar a vida administrando o dia-a-dia.

Graça devolve leveza para que os filhos de Deus sintam-se à vontade em sua presença, como meninos na casa dos avós. Graça libera as pessoas para se tornarem amigas de Deus, em vez de vê-lo como um adestrador inclemente. Graça não permite delírios narcisistas. Nenhuma soberba se sustenta diante da percepção de que Deus aposta na humanidade e ainda se convida a cear entre amigos.

Graça distensiona o culto porque avisa: tudo o que precisava acontecer para reconciliar a humanidade com Deus foi concluído: “Consumatum est”. Portanto, enquanto a graça não for redescoberta de fato como a mais preciosa verdade da fé, as pessoas podem até afirmar que foram livres, mas continuarão presas à lógica religiosa das compensações. Devedores, jamais entenderão que o reino de Deus é alegria. A graça liquida com pendências legais. Não restam alegações a serem lançadas em rosto — “Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus?”.

A religiosidade legalista insiste que é perigoso falar excessivamente sobre a graça. Anteparos seriam então necessários para proteger as pessoas da liberdade que a graça gera. Mas o amor que tudo crê, tudo espera e tudo suporta não aceita outro tipo de relacionamento senão abrindo espaço para que haja amadurecimento. Deus ama assim, e o Sermão da Montanha não deixa dúvidas de que todo discurso sobre o reino de Deus deve começar com graça.

Soli Deo Gloria

24-05-10

Ricardo Gondim

Corredor da Morte-PG

Posted in Letras de Música with tags on abril 11, 2010 by rafaelvictor

Nascemos para crescer
Crescemos para trabalhar
Trabalhamos para crescer
Corremos como o vento pra chegarmos no destino
E no final a gente quer se esconder

Quanto mais longe for a casa, melhor
Se o meu carro for blindado a segurança é maior
Tem gente fugindo. Se isolando de tudo
Tem gente correndo para longe de Deus

Sem direção, na contramão
Sem ter a paz no coração
Levando a vida em direção ao corredor da morte

Corre pra ganhar mais tempo
Corre mais veloz que o vento
Corre pra crescer e vencer
Corre pra ser conhecido
Corre pra ser sempre visto
Depois corre pra se esconder
Não confieis em si mesmo
Oh, filhos da terra
Pois sem o espírito todos se voltam ao pó
Corra pra Cristo
Guarde o tesouro eterno do céu

Não assista a novelas!

Posted in Pecados with tags on março 24, 2010 by rafaelvictor

Acorde!

Posted in Eu on março 22, 2010 by rafaelvictor

Todo dia em que acordamos, temos a chance de  sermos diferentes. Podemos fazer algo que nunca foi feito antes. Praticar uma atitude de ousadia e sair a frente na estrada da vida.

Ao abrirmos nossos olhos, sair do stand by de nossa cama e ficarmos de pé nos  renovamos na misericórdia do Senhor que se renova em cada manhã. Se somos renovados, por que temos então que viver de coisas velhas?

Somos renovados para ser novos. Recebemos óleo de alegria para sermos felizes.

Ao ficarmos de pé para um novo dia que possamos viver realmente a nova vida. Que possamos ficar realmente cansados diante de tanta estagnação, diante de tanta acomodação e realmente possamos acordar e dar um salto sobre os montes.

Acorda! Desperta.

Não deixe as coisas serem como são. Deixe o renovar inovar em tudo. Deixe  o rio te purificar.

Acorde para uma nova revelação. Não uma heresia. Mas a revelação da novidade de vida. A revelação dAquele que faz nova todas as coisas.

New Day! Novo Dia.

Acorde para ele. Deixe ele acordar para você.

O erro é que quando acordamos e olhamos a nossa volta tudo parece igual e normal. Igual ontem. Igual ao que já foi. Mas não se engane. Nossos olhos ainda feridos pelo corpo de transgressão não estão regulados para ver as coisas como são.

Mas comece então a acreditar. O novo se tornará mais real para você.

Tudo está se fazendo novo, embora nem todos possam ver. A obra é grandiosa e nem todos podem reconhecer.

Acorde para fazer parte disso.

Acorde para viver.

Acorde porque foi por você!

Rafael Victor

22 de março de 2010 00h53

EMANUEL

Posted in Jesus e nada mais... with tags , on março 17, 2010 by rafaelvictor

Jesus é Deus conosco, Emanuel. O grande
mistério de Deus ao se tornar humano é seu
desejo de ser amado por nós. Ao se tornar
uma criança vulnerável, completamente
dependente de cuidado humano, Ele quer
eliminar toda a distância entre o humano e
o divino.
Quem pode ter medo de uma pequena
criança que precisa ser alimentada, cuidada,
ensinada e guiada? Normalmente falamos de
Deus como o Deus onipotente, Todo-Poderoso,
de quem dependemos totalmente. Mas Ele quis
se tornar o Deus não-onipotente, todo-vulnerável,
que depende completamente de nós. Como
podemos ter medo de um Deus que deseja
ser “Deus conosco” e que nos tornemos
“Nós-com-Deus”?
 
Henri Nouwen

Ele deve ser maluco…

Posted in Eu on fevereiro 25, 2010 by rafaelvictor

Ás vezes tenho o costume de anotar coisas que eu penso, ou coisas que leio ou ouço. Outro dia anotei em um papel no meu serviço que é melhor deixar o fogo consumidor, o fogo que vem de Deus queimar em nossas vidas e tirar tudo aquilo que não presta do que ter que no final deixar o fogo do inferno te queimar eternamente. Como diz o Pr. Antônio Cirilo em uma de suas canções espontâneas: “Mas eu prefiro o fogo da Tua Presença do que o fogo do inferno…”.  Uma colega de serviço achou esse papel e leu. Depois me olhou com aquela cara de “ele deve não bater muito bem…”. Mas ainda assim, sendo tachado ou “pensado” que sou doido para muitos, ainda prefiro o fogo de Deus do que o fogo das trevas e ranger de dentes. Jesus disse: Arrependa-se por que é chegado o Reino de Deus. Deixe ser purificado pela graça santificadora de Deus.

Bom dia!

Rafael Victor

Algumas coisas

Posted in Eu with tags on fevereiro 7, 2010 by rafaelvictor

1)Enquanto é tempo. Enquanto há tempo.

Comecei a semana com um peso no coração, não vou falar novamente o que é.

Mas o que aprendi foi que muitas vezes só ficamos chorando o leite derramado. Quando o leite é derramado, aí fica aquele sentimento horrível de “será que não poderíamos fazer algo mais?”

Ao invés de se frustrar e criticar sem fazer nada, é melhor ás vezes tentar, e até se frustrar, e até ser criticado, mas fazer alguma coisa.

Vale a pena correr certos riscos.

2) Comecei minha faculdade e uma convivência com mais umas 60 pessoas.

Na estrada da vida é assim, encontramos pessoas, por escolher caminhos diferentes nos afastamos de outras, por escolhermos caminhos iguais nos ajuntamos as outras, e assim iremos prosseguindo nesse intercâmbio até a jornada chegar ao fim.

Chegar ao fim para iniciar um novo começo, pelo menos para alguns.

3)Estou lendo um livro do Myles Munroes e ele disse uma coisa apaixonante, talvez nem seja novidade. Mas ele disse que a verdadeira visão não é aquilo que vemos com os nossos olhos, mas a verdadeira visão é aquilo que a gente vê com o coração. Ele ainda faz a ponte com a bíblia, que diz que a fé é a certeza das coisas que não podem ser ver. Esplêndido como dizem alguns.

4)Estava estrategicamente preparado para me livrar de todos os possíveis trotes que pudessem haver na faculdade nessa primeira semana. E a semana passou tranquila, mas eis que ontem, irmãos abençoadíssimos da igreja, discípulos ainda por cima, picotaram meu cabelo, jogaram kiboa e detergente. Uma benção…rsrs…tive que passar a máquina 2…

5) Acampamento nosso chegando. Um tempo de busca intensa com Deus e  comunhão com os irmãos. Na expectativa de que seja a melhor edição de todas, pois o melhor de Deus está sempre por vir!!!

6)Hoje tem teatro no nosso culto ás 19h. Praça Dr. Augusto Silva 728. Lavras-MG. Brasil. Planeta Terra (3º do Sistema Solar). Via Láctea. Grupo Local. Universo de Deus. Compareça lá. Toda arte também é para glória de Deus!! o//

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.